quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

O FUNDAMENTO PARA UMA SAGRAÇÃO EPISCOPAL SEM MANDATO APOSTÓLICO

Na perda e confusão causadas pela situação atual da Igreja, é útil, de tempos em tempos, lembrar alguns pontos firmes.

Por isso, propomos  a leitura de uma carta aos amigos e benfeitores do Instituto “Mater Boni Consilii”, datada de 21 de dezembro de 2001, na qual foi anunciada a próxima consagração episcopal - em Verrua Savoia - de Mons. Stuyver, também lembrou os princípios e condições que tornava lícita e útil uma sagração episcopal. Na verdade, objetávamos que uma nova sagração episcopal era desnecessária, uma vez que os bispos que consideravam vaga da Sé Apostólica não faltavam no mundo.

Com uma distância de quinze anos, sempre consideramos o que escrevemos: apenas a tese teológica do bispo Mons. Guérard des Lauriers O. P. foi e é uma base válida para uma Sagração episcopal sem mandato romano.

Convidamos, portanto, aos amigos de nosso Instituto o discernimento obrigatório entre os bispos que defendem essa tese teológica e aqueles que a rejeitam.


Mons. Geert Stuyver
Carta aos amigos do Instituto Mater Boni Consilii


Queridos amigos,

A edição italiana do nº 53 do Sodalitium já chegou às suas casas, enquanto a edição francesa (será o nº 52) estará pronta para o novo ano. Portanto, não foi possível para mim e não será possível comunicar - através de nosso boletim - as importantes notícias relacionadas ao nosso Instituto.

Mons. Robert Fidelis McKenna O. P. estará conosco - se Deus quiser - de 10 a 17 de janeiro. As Santas Confirmações serão administradas no domingo, 13 de janeiro e na segunda-feira 14, em Verrua, os seminaristas receberão a tonsura.

A notícia mais importantes é, no entanto, a seguinte: na quarta-feira, 16 de janeiro, Mons. McKenna conferirá a sagração episcopal ao reverendo padre Geert Stuyver do nosso Instituto.

A notícia pode surpreendê-los. Alguns estarão felizes, outros preocupados. Deixe-me explicar brevemente os motivos dessa escolha.

Mons. McKenna havia proposto há muito tempo conferir consagração episcopal a um membro do Instituto; Sempre preferimos recusar o convite.

Em 2002, no entanto, o bispo McKenna completará 74 anos, e sempre será mais difícil para ele fazer longas viagens à Europa; Nossos seminaristas, por exemplo, alcançaram o terceiro ano de estudos sem ainda receber a Tonsura, e muitos de vocês aguardam confirmação por vários anos.

Agora, o bispo McKenna é o único bispo que professa publicamente e explicitamente a tese teológica do bispo Mons. Guérard des Lauriers, na Sé Apostólica, formalmente, mas não materialmente vaga. Esta tese - que é sempre a do Instituto - parece-nos a única que pode explicar adequadamente a situação atual da autoridade na Igreja. Ela também é a única - em nossa opinião - que evita todo perigo de cisma. E para Mons. Guérard des Lauriers, é o única que justifica e faz consagrações episcopais sem mandato romano totalmente legítimo. A consagração de um bispo que adere a esta tese parece, portanto, legítima e necessária.

Dado esse princípio, os membros sacerdotes do Instituto foram consultados e, por unanimidade, provaram que o candidato mais digno, apesar de jovem, era o Rev. Don Geert Stuyver, Deus mediante será sagrado em Verrua Savoia em 16 de janeiro de 2002.

O novo Bispo compromete-se a submeter seu episcopado nas mãos do Santo Padre, quando Deus quiser dar um a sua Igreja, que é a Igreja Católica, Apostólica e Romana.

Reconhece que recebe na consagração episcopal a plenitude do poder da Ordem, particularmente para administrar o Sacramento da Ordem e o da Confirmação, mas não para de alguma forma receber o poder de jurisdição, que o Bispo pode ter exclusivamente da Santa Sé. Portanto, ele reconhece não gozar - como um bispo - do poder de governar na Igreja ou de ensinar como membro da Igreja docente.

Mons. Stuyver estará disponível a todos os fiéis católicos que desejam apelar ao seu ministério para receber os sacramentos que a Igreja ensina que são reservados ao bispo. Naturalmente, a presença de um bispo do Instituto residente na Europa facilitará a administração desses sacramentos.

Agradecemos ao Bispo McKenna, que honrou nosso Instituto, concordando em conferir a consagração episcopal a um de seus membros. Agradecemos a Don Stuyver, que concordou em receber um peso não indiferente nas costas, um peso que hoje é mais um fardo do que uma honra. Confiamos ambos às suas orações. Estamos sempre disponíveis para cada um de vocês para esclarecimentos adicionais.

Acima de tudo, agradecemos a Deus e à Virgem do Bom Conselho, que nos permitem, com essa graça, poder continuar melhor o trabalho iniciado por Mons. Guérard des Lauriers para a glória de Deus, o bem da Igreja e a salvação das almas.

Verrua Savoia, 21 de dezembro de 2001, na festa de São Tomé Apóstolo

Don Francesco Ricossa

Nenhum comentário:

Postar um comentário